Desmistificar a osteoporose… e mexer por ele, e por si

Muito se ouve falar de osteoporose. Há mitos, convicções e certezas (por vezes erradas) do que pode ser esta maleita que afecta tanta gente.

Hoje vamos tentar desmistificar esta doença que, apesar de silenciosa, afecta milhões de pessoas em todo o mundo.

Os ossos são constituídos por tecidos dinâmicos que se encontram em constante “remodelação”. A osteoporose é uma doença metabólica caracterizada pela diminuição da densidade dos nossos ossos. Com uma densidade mineral óssea mais reduzida, a força mecânica do osso diminui e dá-se um aumento do risco de fraturas. Esta é uma doença silenciosa pois não apresenta sintomas (não sentimos dores nos ossos nem no corpo). A osteoporose é uma doença com maior incidência nas mulheres do que nos homens. De acordo com alguns estudos, estima-se que 15% das mulheres em idades situadas entre os 60 e os 80 anos sofrerão uma fratura óssea resultante do processo da osteoporose.

A osteopenia (diminuição da massa óssea devido a uma síntese de osteoides inadequada) é uma precondição para a osteoporose e um fator de risco para a osteoporose. A osteoporose pode ser dividida em primária e secundária.

A osteoporose primária possui duas divisões: osteoporose primária tipo I e osteoporose primária tipo II. A osteoporose secundária representa apenas menos de 5% dos casos de osteoporose.

É no período da menopausa que há um risco acrescido do aparecimento e desenvolvimento da osteoporose nas mulheres, pois os seus níveis de secreção hormonal de estrogénio e progesterona atingem patamares muito baixos. Muitas vezes, apesar de aparentemente nos sentirmos saudáveis, só através da realização de exames, como a densitometria óssea, é que o médico poderá diagnosticar corretamente o grau da doença e autorizar ou não a prática de actividade física. O treino de força através de exercícios de musculação, se bem orientado e realizado corretamente, é de extrema importância no tratamento da osteoporose, porque com este tipo de treino não só ganhamos força e massa muscular, mas também melhoramos a nossa flexibilidade, coordenação motora, agilidade, a postura e a resistência muscular.

Para aquelas pessoas que têm autorização do seu médico para a prática de actividade física, realizar 4 a 5 treinos por semana, uma ou duas séries com 10 a 15 repetições por exercício e a uma intensidade baixa ou moderada, pode ajudar a prevenir lesões futuras.

 

  • Natação (proporciona uma boa tonificação muscular e aumenta os níveis de força);
  • Caminhadas com uma duração de 30 a 40 minutos;
  • Exercícios de musculação; (supino plano; lat pulldown; elevações laterais; leg press; aberturas com halteres, abdominal – toca no calcanhar e flexão plantar -encoste uma bola suíça a uma parece e coloque-se em “bicos” dos pés, tenha cuidado para não perder o equilíbrio e não deixe cair a bola).

 

Treine sempre com cuidado, treine sempre com atenção, mas treine. E se é bom explicar na teoria, lembre-se que o exercício físico quando acompanhado de Personal Trainer pode fazer a diferença na adequada prevenção, não só de osteoporose, como de outros problemas associados ao avançar da idade.

Pedro Miranda

Personal Trainer

Personal Trainer, cofundador da Koobby.

Entre no clube Mini Style e seja a primeira a receber informação e descontos exclusivos.

Não mostrar esta mensagem novamente
BREVEMENTE

Entre no clube Mini Style e seja a primeira a receber informação e descontos exclusivos.